Sempre me interessei por artesanato. Aliás, parece que é um mal de família. Minha mãe era exímia bordadeira (vocês poderão constatar isso quando eu postar aqui alguns de seus trabalhos). Aprendi a bordar ponto cruz quando era ainda menina e faço isso até hoje (há mais de 50 anos), além de bordar “needle point” e fazer alguns outros trabalhos manuais. Um dos meus irmãos, engenheiro, gosta de trabalhos com madeira, entalhes e faz isso muito bem. Meu marido, professor de educação física aposentado, sempre gostou de trabalhar com madeira – nos últimos anos tem feito belas peças com palitos de bambu (de churrasco) e trabalhos em marchetaria. A família foi aumentando e vieram outros artesãos ... bem isso vocês poderão ver à medida em que eu for postando aqui.

Decidi mostrar neste blog uma família de artesãos, que não vive de artesanato, mas sempre está envolvida com esse trabalho.

Entrem e se divirtam conosco.

Podem deixar seus comentários, que serão sempre bem vindos.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Monjolo

Relembrando sua infância em pequena cidade do interior de Goiás, Erasmo contruiu um monjolo, utilizando madeira e palitos de churrasco (de bambu) e pedaços de bambu.

Colocou um pequeno tanque no interior da caixa e usa um  motorzinho (desses que são usados para movimentar a água em aquários) e o faz funcionar, utilizando a água que cai na caixa (também adaptada no interior).

A caixa é feita com palitos de churrasco e a canaleta que leva a água, bem como o suporte da escadinha são feitos com bambu.

O detalhe mostra a peça principal e o pilão, esculpidos com canivete em cedro. As peças são unidas com cavilhas de madeira e coladas. Ele não usa pregos.

Nesta foto, é possível ver o monjolo em funcionamento sobre a bancada de trabalho do autor. Para enfeitar a abertura, ele colocou umas pedras brancas na caixa de água.

Bem, uma coisa precisa ser explicada. Nós moramos em apartamento e depois do casamento de minha filha, ele transformou um dos quartos em oficina. Já podem imaginar como é, não acham?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário